Superproteção pode ser muito prejudicial para o desenvolvimento infantil

Pais e mães tem o instinto de proteção, de defender e cuidar de seus filhos. Mas a superproteção pode influenciar negativamente no desenvolvimento da criança.

Quando se trata dos avós então…muitos colocam dentro de uma bolha.

superproteção pode ser prejudicial

Os pais e mães querem sempre o melhor para seus filhos, não querem vê-los sofrer, se estressar e nem se irritar. E muitas vezes para evitar esse “sofrimento” acabam fazendo por ele, evitando que a criança se frustre.

Fazer pela criança o que ela consegue fazer, tem efeito negativo. Primeiro porque ela deixa de confiar em suas próprias potencialidades. Segundo porque deixa de fazer, deixa de aprender, deixa de desenvolver sua independência e muitas habilidades essenciais para a aquisição de muitas habilidades, entre elas a habilidade socioemocional.

É parte do processo de amadurecimento e desenvolvimento da criança tentar fazer sozinha. Deixar as crianças cometerem erros e descobrir por si mesmo como o mundo funciona, faz parte do aprendizado. Sempre respeitando a idade e fase de desenvolvimento em que ela se encontra. O elogio e encorajamento do adulto quando a criança se esforça, também faz parte, pois ajuda a mantê-lo interessado, a se sentir capaz.

Os pais são importantes para o acolhimento e encorajamento de seus filhos e filhas para persistirem sempre, mesmo diante de dificuldades e conseguem realizar a estimulação infantil, quando incentivam a realização de atividades que eles podem fazer sozinhos.

Por isso, permita que a criança:

– faça algumas escolhas (pode ser entre as opções que você der), por exemplo: “qual dessas três camisetas você quer vestir ?”, “do que você quer brincar?”

– tente tirar e colocar sua roupa sozinha. Escovar os dentes, comer e beber, caso precise, você pode ajudar

– quando não conseguir montar uma torre de cubos, ou ela caia durante a construção, incentive que a criança tente novamente. Com atenção, e dedicação, mas não monte por ela;

– se a criança disser não consigo, oriente, mostre como ela pode tentar, mas não faça. Dê palavras de incentivo, e encorajamento

Brincando a criança aprende sobre independência e autonomia também. Permita que escolha as brincadeiras e resolva os problemas de maneira lúdica e divertida. Nesse momento lidar com problemas é menos estressante e a aprendizagem é amplificada.

A melhor maneira de demonstrar carinho e amor, é permitir que seu filho saiba que você confia nele, e acredita em sua capacidade. E que caso, algo não dê certo, você estará por perto para incentivá-lo a tentar novamente. Assim é possível ensinar resiliência, perseverança e coragem para enfrentar os desafios da vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima