A evolução da motricidade fina da criança

Você ja percebeu como a criança pega cada coisa desde pequena, e como vai evoluindo conforme fica mais velha?

Essas modificações de pega ou preensão, são melhoras da de acordo com as experiências que são oportunizadas à criança, e conforme seu cérebro amadurece. Quando a criança tem oportunidade de experimentar muitos brinquedos, de se vestir, comer e rabiscar, ela vai registrando os movimentos. Conforme ela vê outras crianças e seus pais, segundando a colher, fechando o zíper e montando os blocos com ela, esse registro tambem acontece. E assim ela vai modeficiando sua maneira de manipular os objetos, para que ela derrube menos alimento, tenha mais sucesso na execução e possa fazer de maneira independente.

Por isso, incentivar a criança, nessas experiências são fundamentais. E quando ela estiver maior, vai precisar muito dessa destreza e precisão para atividades mais difíceis, como escrever por exemplo.

Então a melhor maneira de estimular é contextualizar a estimulação da motricidades com tarefas do dia a dia!

Não ficamos fazendo exercícios sem sentido, a criança não se motiva e aprende.

Lembrando que o que fixa o aprendizado, é a atenção. E a criança só presta atenção no que a interessa e motiva. E só o que motiva são atividades interessantes e que trazem algum tipo de recompensa. Por exemplo, o brincar, a alimentação, vetir a roupa para passear, brincar no banho.

Minha bandeira é” vamos brincar e deixar as crianças fazerem o que está dentro do nível de maturidade, o que elas já podem tentar e realizar de maneira independente (mesmo que não tão bem como nós). Nossa presença é importante para dar suporte e incentivar.

“Não Julgue a capacidade, não restrinja, apenas permita e incentive as tentativas. Dê oportunidade, orientações verbais, ajude a pensar, mas não faça por ela”. Ou quando ela será capaz de fazer sozinha?

Fernanda Monteiro

Quanto mais a criança fizer, mais ela vai aprender. Quanto mais ela fizer e perceber que aquele jeito de segurar não dá certo, mais ela desenvolve as habilidades cognitivas e motoras para resolver, e mais sua auto estima lhe permite tentar. Esse é o segredo!

AS crianças tem a curiosidade, o desejo de fazer, de conhecer e descobrir inatos. Aproveite e a deixe fazer. Crianças que crescem em bolhas, não desenvolvem seu potencial, porque o adulto não permite. Estou falando de TODAS as crianças, as com desenvolvimento típico. e atípico, cada com com sua realidade e capacidade, todas têm o direito de tentar.

Segundo Serrano e Luque, 2015, a motricidade fina é a maneira como usamos braços, mãos e dedos, como: alcançar, agarrar, manipular, tesoura, lápis, colher. É a capacidade de utilizar as mãos e os dedos para executar movimentos com precisão

Permita e estimule a criança:

  • escovar os dentes
  • pentear o cabelo
  • tirar ameia
  • comer
  • segurar seu próprio copo
  • troque a roupa da boneca
  • carregue uma sacola
  • rasgue papel
  • pinte
  • folhear um livro
  • monte torre com blocos
  • brincar

Tipos de preensão

A utilização de vário objetos durante as atividades do dia a dia favorecem o desenvolvimento da motricidade fina.

A criança inicia o desenvolvimento da motricidade fina desde pequeno, embora muitas vezes, só se perceba e se estimule essa habilidade quando a criança entra na escola e apresenta dificuldades para segurar o lápis, recortar, picar papel e até comer sozinha.

Não podemos esperar aparecerem os problemas para iniciar a estimulação.

O incentivo deve ser iniciado desde bem cedo. Mas sempre respeitando a fase de desenvolvimento.

Fonte: A CRIANCA E A MOTRICIDADE FINA. , Paula Serrano, Cira de Luque. 2015

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima